Sobre este projecto

O Príncipe é a ilha mais pequena do arquipélago de São Tomé e Príncipe e tem uma população de cerca de 7.500 pessoas, a maioria das quais jovens. A nossa intervenção no terreno tem como objetivo desenvolver a educação e proporcionar melhores condições aos alunos para aprender e aos professores para ensinar. Mais recentemente, conseguimos aumentar a nossa área de intervenção na ilha e desenvolvemos também projetos na área da saúde, outra das áreas em que o Príncipe ainda apresenta carências. No Projeto Príncipe, não queremos mudar a ilha nem as pessoas, mas estamos empenhados em potenciar o que têm de melhor.


Príncipe 2015: a grande aposta na saúde

De julho a outubro, a nossa equipa, que contou em 2015 com 24 voluntários, implementou na ilha uma série de atividades, incluindo duas que são já uma bandeira da Sonha, Faz e Acontece no Príncipe: o Campo de Férias Xináa Fogáa e a Escola Gravana. Ainda na área da educação, os nossos voluntários criaram um centro de línguas e uma sala de informática numa das escolas da capital da ilha, Santo António, e promoveram a segunda edição do Open Day das Profissões e um concurso de empreendedorismo, no qual, além de darem formação a empresários, também apoiaram financeiramente as melhores ideias.

 A Sonha, Faz e Acontece conseguiu ainda alargar a sua marca na área da saúde, com as reabilitações do posto de saúde da Praia Abade e da pediatria do hospital e também com a criação de um gabinete de saúde materno-infantil.

 Os voluntários do Projeto Príncipe 2015  escreveram a sua história aqui. 


Principe 2014: o ano em que demos o salto

Este ano, o Projeto Príncipe foi ainda mais ambicioso: em julho, 17 voluntários portugueses embarcaram para a ilha e juntaram-se aos nossos voluntários são-tomenses. Durante três meses, organizaram o célebre Campo de Férias Xináa Fogáa e também a segunda edição da Escola Gravana mas agora numa versão revista e aumentada, com aulas de Inglês, Empreendedorismo, Geografia, Ciências e Expressão Plástica que se prolongaram por um mês.

 Além disso, a equipa ainda recuperou a biblioteca da Escola Secundária de Santo António II e o campo de jogos dessa escola, dinamizou clubes de leitura em várias roças, lançou o Jornal do Príncipe, o único com circulação na ilha, e promoveu uma feira de profissões e saídas profissionais.

 O ano de 2014 marcou também o início da intervenção da Sonha, Faz e Acontece na área da saúde: os nossos voluntários reabilitaram o posto de saúde de São Joaquim, que estava fechado há mais de dois anos, e realizaram rastreios de diabetes e hipertensão naquela e noutras comunidades da ilha.

 A aventura foi sendo registada pelos voluntários que estiveram no terreno e pode ser lida aqui.


Principe 2013: o início da Escola Gravana

Neste ano, o Projeto Príncipe começou a crescer: tivemos nove voluntários no terreno ao longo de cinco semanas. A primeira atividade desta equipa foi o já muito aguardado Campo de Férias Xináa Fogáa e, durante cinco dias, os voluntários proporcionaram momentos de alegria e de aprendizagem a mais de 100 crianças. O tema do campo de férias deste ano foi Profissões, uma ótima desculpa para pôr as crianças a pensar no futuro e no que querem ser quando forem grandes.

 Estes nove voluntários ainda conseguiram reconstruir a escola da Praia Abade, uma das roças mais carenciadas da ilha e com grandes necessidades a nível de infraestruturas, e também tiveram oportunidade de dinamizar as salas de estudo reconstruídas em 2012. Estes espaços foram palco da primeira edição da Escola Gravana, com workshops e sessões de formação direcionados às crianças e jovens da comunidade em áreas como Empreendedorismo, Geografia, Ciências e Inglês.


principe 2012: O início de um sonho

A nossa primeira aventura já foi em 2012, o ano em que os primeiros voluntários do Projeto Príncipe rumaram à ilha. Durante um mês, estes cinco voluntários organizaram o Campo de Férias Xináa Fogáa, na roça do Picão, em que dinamizaram jogos para mais de 100 crianças. Os Jogos Olímpicos serviram de tema do campo de férias e serviram de mote para muitas das atividades desenvolvidas.

Além disso, os nossos voluntários ainda recuperaram duas salas de estudo na escola na roça do Picão e da Nova Estrela. Estes espaços estavam degradados e sem condições e os nossos voluntários conseguiram mudar esta realidade: construíram mesas e bancos, pintaram paredes e portas e equiparam as salas que ficaram ao serviço daquela comunidade escolar e que foram também determinantes para outras atividades da Sonha, Faz e Acontece no local.